quinta-feira, Agosto 21, 2014

Ai que comichão! - As otites externas

Aí que comichão!




      Sabia que ao limpar com regularidade as orelhas do seu melhor amigo:

-   - Elimina o mau odor;
-   - Previne a formação das otites externas;
-   - Melhora a audição;
-   - Promove o bem-estar dele.

      Não é por acaso que a principal razão para os cães e os gatos virem à consulta é a presença de otites
      externas.

     Existem várias causas para as otites, podendo elas ser bacterianas, por fungos, por ácaros e corpos estranhos       (ervas secas, insectos, sementes).

As otites externas devem ser examinadas com brevidade para que não ocorram traumatismos severos devido à comichão e abanar de cabeça, fazendo com que alguns dos patudos sejam  submetidos a cirurgias de correcção desses danos.

O dano mais frequentemente observado é o otohematoma que ocorre devido ao abanar da cabeça constante e intensamente provocando a ruptura dos vasos sanguíneos da orelha formando-se uma bolsa cheia de sangue.

Existem no mercado vários produtos para a limpeza dos ouvidos do seu patudo. A frequência de utilização dos mesmos varia de caso para caso, mas aconselha-se pelo menos 1 vez por semana a sua limpeza.


quarta-feira, Agosto 20, 2014

O cão activo é mais saudável!

O cão activo é mais saudável!




Fazer exercício diariamente com o seu cão tem benefícios para si e para o seu animal de estimação:

melhora a condição física, prevenindo a obesidade;
-  estreita os laços de afecto;
-  contribui para uma melhor saúde;
-  proporciona momentos de felicidade;

-  animal com menos estresse e comportamentos destrutivos.

Nestes passeios é sempre bom trazer um brinquedo ( bola ou corda), para que possa brincar com o seu amigo de quatro patas! Acredite que ele vai adorar!

Aproveite e convide um vizinho seu que tenha cão para vir consigo, vai ser uma animação passear o seu cão com um amiguinho (importante na socialização com outros cães!).

Leve sempre consigo água e um snack para o seu cão, porque depois tanta correria vai precisar!

Cães mais activos, cães mais felizes! (… e os donos também!)

terça-feira, Agosto 19, 2014

Os perigos que se escondem lá em casa!

Os perigos que se escondem lá em casa!




Sabe quais são os alimentos que são tóxicos para o seu melhor amigo?

-   Chocolate, café e chá com cafeína;
-   Uvas e passas de uvas;
-   Batata crua;
-   Cebola e o cebolinho;
-   Alho;
-   Frutas ácidas (citrinos);
-   Sementes de fruta;
-   Bebidas alcoólicas.

 A ingestão destes alimentos pode provocar situações de vómito e diarreia e, em situações mais graves, originar insuficiência hepática e renal, anemias severas, convulsões e até mesmo a morte.

Deve-se ter o cuidado de vedar o acesso a estes alimentos, colocando-os em zonas altas ou de difícil acesso para o animais.

A ingestão de alimentos tóxicos é uma das causas mais frequentes de consulta de urgência em Clínica Veterinária e são sempre situações de prognóstico reservado.

Sempre que suspeitar da ingestão de um destes alimentos alerte o Médico Veterinário pois poderá salvar a vida do seu melhor amigo!

Mais vale prevenir que remediar! Para bem do seu melhor amigo!

segunda-feira, Agosto 18, 2014

Auto-medicação não !!!! - Os riscos para o seu cão/gato

Auto-medicação NÃO!



De certeza que tem estes medicamentos em casa:

 - Paracetamol;
 - Ibrufeno;
 - Ácido acetilsalicílico;
 - Loperamida;
 - Diazepam.

Estes medicamentos são usados com grande frequência nos Humanos para as patologias mais comuns (desde a dor de dentes, dor de cabeça, diarreia e depressão)  e por isso de fácil acesso.

No entanto, sem se aperceber, o dono ao dar estes medicamentos e doses demasiado altas correndo o risco de  causar intoxicações graves e até mesmo a morte ao seu melhor amigo.

A auto-medicação não deve ser pratica diária pois os riscos que corre são muito grandes colocando o seu amigo numa situação clínica complicada.

Deverá sempre recorrer a um Médico Veterinário para o aconselhamento sobre medicamentos de forma a utiizar os medicamentos mais correctos e de forma mais segura.

Seja honesto com o seu Médico Veterinário, se usou algum destes medicamentos ( ou outros), ele saberá o que fazer e quais os antídotos a usar!

A auto-medicação não é  solução! Não ponha a vida do seu melhor amigo em risco!


domingo, Agosto 17, 2014

Insuficiência Cardíaca - Cães e Gatos Parte IV




Qual o tratamento para a Insuficiência Cardíaca?

O tratamento varia de animal para animal, bem como, do grau de severidade. Quanto mais cedo se aperceber das alterações e estas forem corrigidas menor  será o grau de gravidade.
  

Infelizmente é uma doença crónica e , como tal, o tratamento deverá ser realizado durante toda a vida do animal de maneira a proporcionar ao seu melhor amigo uma vida com qualidade e mais longa.

O tratamento pode ir variando consoante a evolução clínica, sendo o coração avaliado em consultas de cardiologia de acompanhamento regulares.

Existem cães que chegam à consulta em situações de gravidade muito alta tendo, nestes casos, de ficar hospitalizados até à sua estabilização.

E a alimentação?

É muito importante a mudança dos hábitos alimentares do seu animal de estimação para a promoção de uma vida mais saudável, nomeadamente na restrição de sal.


Existem dietas já formuladas que, para além da redução do sal, têm nutrientes que ajudam na função cardíaca. Logo, para além da medicação, a alimentação saudável é fundamental para que o seu melhor amigo tenha uma vida com mais qualidade e a possa aproveitar ao máximo consigo!

sábado, Agosto 16, 2014

Insuficiência Cardíaca - Cães e Gatos Parte III




Quais  as causas da Insuficiência Cardíaca?

Existem várias causas das quais se destacam: os defeitos nas válvulas e no músculo cardíaco, tumor, arritmias, dirofilariose (parasita do coração), trauma e doenças congénitas.


Como se faz o diagnóstico da Insuficiência Cardíaca?

Na base do diagnóstico correcto está um atento exame físico e uma boa história clínica do animal em questão.
Em primeiro lugar deve-se auscultar o coração de forma atenta de forma a identificar sopros e/ou arritmias que possam existir. A auscultação pulmonar também é importante, já que nos possibilita ver o grau de comprometimento do pulmão. A tosse é provocada pela acumulação de líquidos nos pulmões.
Deve-se palpar o abdomén e o pulso femoral para ver se existem alterações pertinentes de registo.

Após esta primeira avaliação, deve-se recorrer ao meios complementares de diagnóstico tais como: Rx, E.C.G., ecocardiografia, análises clínicas e medição da tensão arterial.


E é com base nestes exames que é possivel fazer o diagnóstico da insuficiência cardíaca e medicá-la na forma mais adequada.

sexta-feira, Agosto 15, 2014

Insuficiência Cardíaca - Cães e Gatos Parte II




Quais os sinais de insuficiência cardíaca?

Na consulta de rotina, antes de aparecerem os primeiros sinais de insuficiência cardíaca, podemos detectar através da auscultação cardíaca alterações no batimento cardíaco (arritmias) e/ou no som ouvido (sopro cardíaco). Estes não são passíveis de serem percepcionados pelo dono (início silencioso).

Os primeiros sintomas que os donos reportam são: cansaço após um período de exercício, tosse inicialmente nocturna passando para diurna/nocturna.

Em situações mais graves temos cansaço permanente , mesmo sem exercício, dificuldades respiratórias, acumulação de líquidos na zona abdominal, perda de peso.